Realização da Avaliação Nutricional | Unidos pela nutrição clínica

Realização da Avaliação Nutricional

A Importância do Diagnóstico Precoce na Gestão Nutricional Eficiente

A avaliação nutricional é geralmente definida como “uma abordagem abrangente para determinar o estado nutricional usando-se históricos médicos, nutricionais e de medicamentos, exames físicos, medidas antropométricas e dados laboratoriais”.1,2,3

Uma vez que a avaliação de risco nutricional indica que o paciente está em risco, deve-se realizar uma avaliação mais aprofundada das causas de desnutrição relacionada a doença e dos fatores de risco de deficiência de nutrição e fluido.

A avaliação nutricional é crucial para a plena compreensão das condições do paciente, o que permite desenvolver um plano específico de tratamento nutricional.

Parâmetros de Avaliação: O que os Nutricionistas Devem Analisar

Parâmetros relevantes, que devem ser avaliados em detalhes, incluem parâmetros antropométricos, fatores de risco relacionados a doença e tratamento como náusea, desidratação, diarreia, infecções agudas; fatores de risco social e psicossocial como depressão e isolamento social; e fatores de risco relacionados à doença, como alergias e dietas restritivas. Dados bioquímicos também são úteis, objetivos, e prontamente disponibilizados para avaliação do estado e risco nutricional.

Parâmetros bioquímicos para a avaliação de desnutrição proteica incluem a mensuração de:

  • Albumina:
    • Sensibilidade: Longo prazo, não muito sensível a desnutrição, baixa em estresse agudo, infecções, cirurgia e politraumatismo
    • Meia vida: Meia vida longa de 21 dias
    • Intervalo: 3,5 a 5 g/dL4
    • Interpretação: Quedas em casos de subnutrição devido à falta de ingestão de nutrientes
  • Transferrina
    • Sensibilidade: Bom indicador do estado de proteína visceral quando usado com proteínas plasmáticas TTR e RBP
    • Meia vida: Meia vida média de oito dias
    • Intervalo: 200 a 350 mg/dl4
    • Interpretação: Valores reduzidos são relacionados a desnutrição proteica
  • Pré-albumina (transtirretina) (TTR):
    • Sensibilidade: Muito sensível
    • Meia vida: Meia vida curta de dois dias
    • Intervalo: 20 a 40 mg/dl4
    • Interpretação: Indicativo de desnutrição em um estágio inicial, controle de terapia nutricional
  • Proteína de ligação do retinol (RBP):
    • Sensibilidade: Muito sensível
    • Meia vida: Meia vida curta de 12 horas
    • Intervalo: 3 a 6 mg/dl4
    • Interpretação: Indicativo de desnutrição em um estágio inicial, controle de terapia nutricional

Avaliação Global Subjetiva

A Avaliação Global Subjetiva (AGS) é um método nutricional não invasivo que se mostrou altamente preditivo de complicações associadas a nutrição. A AGS considera não apenas alterações na composição corporal, mas também mudanças na função fisiológica.  A AGS é realizada considerando-se os seguintes fatores:5,6

  • Considerações clínicas de efeitos relacionados a doenças, como impacto de cirurgia, tratamento, medicação etc.
  • Sinais físicos de desnutrição, por exemplo, o estado físico e psicossocial, perda de gordura subcutânea ou massa muscular, falta de ar, mobilidade, edema, má cicatrização de feridas etc.
  • Aspectos dietéticos como histórico de dieta e fluido recente e antigo, influenciando fatores, necessidades nutricionais.
  • Mensurações antropométricas, por exemplo, peso e composição corporal (IMC, massa muscular, água corporal, massa gorda e massa livre de gordura), bem como força de preensão manual.
  • Marcados bioquímicos e hematológicos, por exemplo, alterações de resultados normais relacionados a um hemograma completo, uréia e eletrólitos, testes de função hepática e renal.

Se os pacientes recebem uma nota “A” na AGS, eles são considerados bem nutridos. Uma nota “B” na AGS indica um paciente moderadamente desnutrido.  E uma nota “C” na AGS indica um paciente gravemente desnutrido.

Avaliação de Ingestão de Alimentos e Fluidos

A ingestão alimentar bem como a capacidade de metabolizar alimentos pode se deteriorar durante o tratamento ou período de internação em hospital ou clínica de repouso. Registro e documentação de ingestão de alimentos e fluidos podem ser uteis da internação à alta.  Os dados podem ser usados para definir o plano de terapia nutricional individual calculando-se a suplementação nutricional necessária e a substituição de fluido do paciente.

 

  • 1. Nenhum autor listado. Identifying patients at risk: ADA's definitions for nutrition screening and nutrition assessment. Council on Practice (COP) Quality Management Committee. J Am Diet Assoc 1994;94:838-839.
  • 2. Thomas B, Bishop J (Eds). Manual of Dietetic Practice 4th ed. Oxford: Wiley Blackwell 2007.
  • 3. Barker LA, Gout BS, Crowe TC. Hospital malnutrition: prevalence, identification and impact on patients and the healthcare system. Int J Environ Res Public Health 2011;8(2):514-27.
  • 4. a. b. c. d. Schutz Y. Assessment of Nutritional Status. Em: Biesalski HK, Fürst P, Kasper H et al., editors. Nutritional Medicine. Stuttgart: Thieme 2004:19-27.
  • 5. Keith JN. Bedside nutrition assessment past, present, and future: a review of the Subjective Global Assessment. Nutr Clin Pract 2008;23(4):410-416.
  • 6. Detsky AS, McLaughlin JR, Baker JP et al. What is subjective global assessment of nutritional status? JPEN 1987;11(1):8-13.

mais informações

 Mulher enferma no leito hospitalarartigoPrincipais Causas da Desnutrição Relacionada a Doença
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Sobre Desnutrição Relacionada a Doença
Nutricionista e médico analisando o prontuário do pacienteartigoMétodos de Identificação de Risco Nutricional
nutricionista
médico/a
Identificação e Avaliação do Risco Nutricional
profissionais da saúde estudando o prontuárioartigoPlano de Terapia Nutricional
nutricionista
farmacêutico/a
médico/a
Plano de Terapia Nutricional

Downloads