Monitorando a Terapia Nutricional | Unidos pela nutrição clínica

Monitorando a Terapia Nutricional

Medindo a Eficácia da Terapia Nutricional

Monitorar a condição do paciente é fundamental para alcançar um resultado ideal e uma recuperação rápida. O monitoramento adequado, juntamente com documentação e controle cuidadosos, podem auxiliar a eficácia da terapia nutricional. O estado do paciente deve ser monitorado por medidas e observações definidas, como o registro da ingestão alimentar, peso e função corporais e, quando apropriado, parâmetros laboratoriais (por exemplo, parâmetros sanguíneos). Os resultados desse monitoramento podem levar a adaptações, se necessário, do plano de terapia nutricional durante o curso da condição do paciente.

Monitoramento e Acompanhamento da Nutrição e Ingestão de Líquidos

Pelo menos uma vez por semana, a nutrição e a ingestão de fluidos deve ser monitorada e acompanhada para auxiliar definir a terapia nutricional e garantir que esta seja eficaz. Documentar o desenvolvimento do peso ajuda a fornecer dados adicionais ao estado nutricional do paciente, bem como a realização de exames laboratoriais de diversos parâmetros sanguíneos. O monitoramento pode ser usado para determinar a adequação da terapia nutricional.

Monitoramento do Peso

O monitoramento regular do paciente deve incluir a reavaliação de ganho e/ou perda de peso.

Registro Nutricional Diário

Para pacientes que recebem nutrição parenteral ou enteral, um registro nutricional diário e protocolos de líquidos deve ser mantido para monitorar a ingestão de energia, proteína e líquidos.

  • Protocolo de alimentos: Registre a ingestão de alimentos e a administração de nutrientes de um paciente para indicar a proporção alcançada de necessidades nutricionais (100%, 75%, 50%, 25% ou 0%; correspondentes a 4, 3, 2, 1 ou 0 quartos de um prato).
  • Protocolo de líquidos: Registre a ingestão diária de líquidos pelo paciente e administrados a ele, indicando a quantidade de líquidos consumida via oral durante todo o dia (alimentação comum ou suplemento nutricional via oral), alimentação por sonda e/ou nutrição parenteral.

Exames Laboratoriais

Conforme for apropriado, os parâmetros sanguíneos1 devem ser monitorados para avaliar o estado nutricional do paciente, a fim de monitorar a utilização de substratos e controlar a adequação da terapia nutricional, além de classificar a gravidade da inflamação e da doença.

Os especialistas em nutrição também recomendam mensurar semanalmente a hemoglobina, sódio, potássio, magnésio, cálcio, fosfato, creatinina, nitrogênio da ureia no sangue, triglicérides, razão normalizada internacional (RNI) e glicose sanguínea. Em pacientes gravemente desnutridos, pode até mesmo ser apropriado medir o potássio, magnésio e fosfato diariamente nos primeiros três dias e então duas vezes por semana para monitorar a utilização e detectar a síndrome de realimentação o quanto antes. O monitoramento também pode incluir os resultados de fosfatase alcalina, bilirrubina e alanina aminotransferase (ALT).

Parâmetros adicionais de monitoramento do sangue incluem:2

  • Albumina: Um parâmetro de acompanhamento para intervenções de longo prazo; correlação direta negativa com mortalidade e taxa de complicações; também baixa em distúrbios funcionais hepáticos, metabolismo pós-agressão, nefropatia com proteinúria e enteropatia perdedora de proteínas.
    • No entanto, o déficit nutricional é detectado apenas se a deficiência proteica já existe há muito tempo, devido à longa meia-vida da albumina.2 Além disso, a albumina não é muito sensível na desnutrição, visto que também é baixa em estresse agudo, infecções, cirurgia e politrauma.
  • Transferrina: Um parâmetro de rastreamento para intervenções de curto prazo; não há correlação clara com o resultado; também baixa em anemia, doenças hepáticas e certas terapias antibióticas.
    A transferrina pode ser uma indicação melhor e mais sensível do estado nutricional em comparação com a albumina.
  • Pré-albumina: Um parâmetro de rastreamento para o monitoramento de curto prazo de intervenções nutricionais. A pré-albumina pode ser uma indicação melhor e mais sensível do estado nutricional em comparação com a albumina.
  • Proteína de ligação ao retinol: Um parâmetro de rastreamento melhor no caso de função renal limitada, também usado para identificação de desnutrição em fase inicial, melhor no caso de função renal limitada. É adequado apenas para monitoramento de curto prazo.

Determine a Necessidade de Suplementos Nutricionais

Os resultados da documentação protocolar de alimentos e líquidos, juntamente com os parâmetros sanguíneos, podem ajudar os clínicos a calcular a suplementação nutricional e a substituição de líquidos necessárias ao paciente.

  • 1. Austrian Society of Clinical Nutrition (AKE). Recommendations for enteral and parenteral nutrition in adults. Vienna 2008.
  • 2. a. b. Schutz Y. Assessment of Nutritional Status. In: Biesalski HK, Fürst P, Kasper H et al., editors. Nutritional Medicine. Stuttgart: Thieme 2004: 19-27.

mais informações

profissional da saúde falando com pacientes idosos sentadosartigoBoa Prática Nutricional
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Identificação e Avaliação do Risco Nutricional
Enfermeira e médico estudando o prontuárioartigoPlano de Terapia Nutricional
profissional
enfermeiro/a
Plano de Terapia Nutricional