Monitorando a Nutrição Parenteral | Unidos pela nutrição clínica

Monitorando a Nutrição Parenteral

Diretrizes para Monitorar a Nutrição Parenteral

Uma vez estabelecida a necessidade de exigências nutricionais (NP) e determinadas as exigências nutricionais, a NP deve ser introduzida progressivamente e monitorada de perto. O risco de complicações associadas à NP, como síndrome de realimentação, hipertrigliceridemia, hiperglicemia, infecções do cateter e desmineralização óssea, podem ser minimizados pelo monitoramento cuidadoso e sistemático de parâmetros clínicos e laboratoriais.1,2

A Importância do Monitoramento Bioquímico

Na fase inicial da NP, especialmente no caso de pacientes com doença grave, o monitoramento bioquímico (glicose sanguínea, ureia, eletrólitos e gases sanguíneos) deve ser realizado diariamente. O conjunto completo de parâmetros laboratoriais deve então ser repetido de duas a três vezes por semana após as exigências nutricionais estimadas ou toleradas terem sido atingidas (veja a tabela abaixo).3

Em pacientes que recebem NP total, a possibilidade de alimentação suplementar via enteral/oral deve ser considerada dentro da reavaliação regular.1 O monitoramento regular de NP pode resultar em menos complicações e custos mais baixos.1

As diretrizes para o monitoramento da NO incluem:1

  • Sempre monitorar o equilíbrio de água e eletrólitos, glicose sanguínea, triglicérides e função cardiovascular e renal
  • Monitoramento reforçado em pacientes com função alterada dos órgãos, infusões de lipídios e em pacientes em estado grave.
  • O monitoramento em pacientes que recebem NP de longo prazo deve ser realizado de acordo com procedimentos padronizados, incluindo determinantes de metabolismo ósseo

Monitoramento Nutricional e Clínico

Os seguintes parâmetros devem ser monitorados e documentados regularmente:1,4

  • Monitoramento nutricional
    • Produtos usados, taxa de infusão, quantidade total de nutrientes/solução fornecida
    • Alcance de objetivos nutricionais
    • Peso corporal
    • Sinais clinicamente manifestos de desnutrição
  • Monitoramento clínico
    • Estado de consciência
    • Edema/estado de hidratação
    • Estado abdominal
    • Funções vitais
      • Frequência respiratória, respiração, trocas gasosas
      • Frequência cardíaca, pressão sanguínea
      • Equilíbrio de água e eletrólitos, equilíbrio ácido-básico, pH
      • Hematócrito, osmolalidade
  • Função renal (volume urinário, ureia plasmática e creatinina)

As diretrizes a seguir são para monitoramento de parâmetros metabólicos (cronograma ilustrativo):4

Cronograma ilustrativo de parâmetros de monitoramento metabólico

  • 1. a. b. c. d. e. Hartl W, Jauch KW, Parhofer K et al. Complications and monitoring - Guidelines on parenteral nutrition. Chapter 9. Ger Med Sci 2009;7(17).
  • 2. Allison SP, Cynober L, Stanga Z et al. Monitoring of nutritional support. In: Sobotka L, editor. Basics in Clinical Nutriton. Prague, Galen 2011:419-432.
  • 3. Sobotka L, Wanten G, Camilo ME. Metabolic complications of parenteral nutrition. In: Sobotka L, editor. Basics in Clinical Nutrition. Prague: Galen 2011:411-417.
  • 4. a. b. Austrian Society of Clinical Nutrition (AKE). Recommendations for enteral and parenteral nutrition in adults. Vienna 2008.

mais informações

Médico com a prancheta em frente à solução de NPartigoO que é Nutrição Parenteral?
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Sobre Nutrição Parenteral
profissional da saúde falando com pacientes idosos sentadosartigoBoa Prática Nutricional
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Identificação e Avaliação do Risco Nutricional
 Enfermeira com prancheta em frente a um quadroartigoMonitorando a Terapia Nutricional
profissional
enfermeiro/a
Monitorando de Terapia Nutricional
Profissionais de saúde analisando um documentoartigoMonitorando a Terapia nutricional
profissional
nutricionista
médico/a
Monitorando de Terapia Nutricional

Downloads