Aprendendo mais sobre triagem e avaliação de risco nutricional | Unidos pela nutrição clínica

Aprendendo mais sobre triagem e avaliação de risco nutricional

Opiniões de especialistas sobre a importância da triagem e avaliação de risco nutricional

Durante o congresso anual da Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo (ESPEN), vários especialistas foram entrevistados quanto a suas opiniões sobre a triagem e avaliação de risco nutricional. Eles ressaltam que, muitas vezes, a triagem do risco nutricional não é conduzida adequadamente, e que esse procedimento precisa ser aprimorado ao longo de toda a permanência do paciente no hospital: do momento em que entram até o momento que recebem alta. Esses especialistas acreditam que melhorar a triagem de risco do paciente terá um impacto positivo não só sobre os pacientes e seu estado nutricional, mas também terá efeito direto sobre os hospitais e seus recursos. Estes são alguns dos especialistas que contribuíram para a discussão:

  • Drª. Karin Papapietro: médica cirurgiã da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile
  • r. Mario Ignacio Perman: médico intensivista no Hospital Italiano de Buenos Aires, Argentina
  • Profª. Isabel Correia: chefe da Equipe de Terapia Nutricional do Instituto Alfa de Gastroenterologia e cirurgiã do Hospital das Clínicas da UFMG, Belo Horizonte, Brasil

O Congresso da ESPEN é um encontro anual que aborda vários tópicos nos campos da nutrição parenteral e enteral, e que recentemente reuniu mais de 3 mil participantes de 82 países de todo o mundo. Em setembro de 2015, o Congresso Anual da ESPEN foi realizado em Lisboa, no qual foram conduzidas diversas entrevistas com renomados especialistas da América Latina. Abaixo você encontrará vídeos e mais informações sobre as opiniões e ideias desses especialistas.


Como a triagem e avaliação de risco nutricional adequadas podem ajudar a combater a desnutrição?


Drª. Karin Papapietro:  
A principal causa de desnutrição clínica está provavelmente relacionada ao que não estamos fazendo como profissionais de saúde. Em primeiro lugar, temos que tentar identificar o paciente que está em risco de desnutrição durante sua internação. Em segundo lugar, temos que procurar fazer uma detecção precoce dos pacientes que já estão desnutridos. O principal desafio na luta contra a desnutrição é a triagem do risco nutricional de um paciente. Apesar dos esforços, os estudos mais recentes na América Latina mostram que ainda não se faz a triagem apropriada.

Dr. Mario Ignacio Perman:  
A triagem nutricional utiliza ferramentas muito simples para que qualquer profissional da área da saúde possa conduzi-la para identificar fatores de risco. Com base nesse procedimento, eles podem obter um diagnóstico e um plano nutricional mais precisos.

Profª. Drª. Isabel Correia:  
A nutrição deve ser personalizada de acordo com a pessoa. Não devo tratar Maria da mesma maneira como trato José. Cada paciente é diferente, e uma avaliação nutricional deve levar isso em consideração: "Esta pessoa tem este problema, e este problema está ligado à nutrição. Talvez sua desnutrição seja moderada, talvez seja grave...". Nenhum médico dirá: "Ele está anêmico, vamos lhe dar sangue", mas sim "Ele parece estar anêmico, vamos fazer testes". E o mesmo deve ser feito em relação à desnutrição. Depois de realizar a avaliação, posso determinar o grau de desnutrição e como prosseguir. Há várias ferramentas disponíveis para a avaliação nutricional. Mas, sem dúvida, considero que a mais adequada e a mais apropriada é a baseada no histórico clínico e em exames clínicos simplificados. Isso significa que não preciso necessariamente de uma ferramenta, que custa dinheiro, ou de uma máquina. Devo primariamente falar com o paciente.

Entrevista da Drª. Karin Papapietro, na qual ela dá sua opinião sobre a identificação e avaliação de risco nutricional

Entrevista do Dr. Mario Ignacio Perman, na qual ele dá sua opinião sobre a identificação e avaliação de risco nutricional

Entrevista da Profª. Drª. Isabel Correia, na qual ela dá sua opinião sobre a identificação e avaliação de risco nutricional