Ajuste da Nutrição Parenteral | Unidos pela nutrição clínica

Ajuste da Nutrição Parenteral

Aiming to Meet Each Patient’s Nutritional Requirements

Quando se trata de desnutrição relacionada a doença, as exigências de cada paciente serão diferentes. Quando a nutrição parenteral (NP) é indicada, os profissionais de saúde podem calcular os requisitos nutricionais para otimizar a terapia nutricional clínica em relação às necessidades específicas do paciente.

Para atender às exigências de energia e proteína de cada paciente, é importante considerar o quadro clínico completo. A ingestão de energia durante a NP deve ser ajustada de acordo com:1

  • O gasto de energia real
  • A situação clínica do paciente
  • Objetivos nutricionais baseados no estado nutricional

Gasto de Energia Real

Existem diversas equações disponíveis para prever o consumo de energia. Na prática clínica, a equação de Harris e Benedict é a mais frequentemente usada para calcular o Gasto Energético em Repouso (GER). Usando essa equação, a altura, o peso corporal, o sexo e a idade são usados para estimar uma taxa metabólica do paciente em repouso.2

A Situação Clínica do Paciente

A condição clínica do paciente, por exemplo, fatores de atividade ou trauma, como grandes fraturas ósseas, sepse, queimaduras, infecção grave, insuficiência renal crônica e câncer, deve ser avaliada para ajustar a NP. Essas condições representam maiores exigências energéticas e proteicas devido à atividade física e o estresse metabólico relacionado à doença subjacente.

Objetivos Nutricionais Estabelecidas com Respeito ao Estado Nutricional

Ao calcular as exigências energéticas e proteicas de um paciente, os objetivos estabelecidos da terapia nutricional devem ser considerados, incluindo:1

  • Fornecimento de energia e proteína para impedir a perda corporal durante doença aguda
  • Recuperação de músculos e estoques de energia durante a reconvalescença
  • Crescimento compensatório em crianças
  • Estado nutricional/índice de massa corpórea (IMC) em desnutrição grave ou caquexia

Usando esses parâmetros, uma NP cuidadosamente elaborada pode suportar as necessidades de nutrição clínica dos pacientes, consequentemente combatendo essa desnutrição relacionada a doença.

  • 1. a. b. Carpentier Y, Sobotka L. Energy. In: Sobotka L, editor. Basics in Clinical Nutrition. Prague: Galen 2011;247-251.
  • 2. Westerterp KR, Schols AMWJ, Singer P. Energy metabolism. In: Sobotka L, editor. Basics in Clinical Nutrition. Prague: Galen 2011;96-103.

mais informações

Enfermeira administrando NP a um paciente no leito hospitalarartigoComo é Aplicada a Nutrição Parenteral?
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Manuseio e Administração de Terapia Nutricional
Mulher no leito hospitalarartigoO que é Desnutrição Relacionada a Doença?
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Sobre Desnutrição Relacionada a Doença
Médico olhando para um produto de NCartigoO que é Nutrição Clínica?
profissional
nutricionista
enfermeiro/a
farmacêutico/a
médico/a
Sobre Nutrição Clínica

Downloads